Papa celebrou missa de Quinta-feira Santa em estabelecimento penal para menores 28.03.13

Francisco lavou os pés a 12 jovens detidos e apresentou reflexão centrada neste gesto de «serviço»


O Papa presidiu à celebração da tarde desta Quinta-feira Santa,num centro de detenção para menores, em Roma, na qual lavou os pés a 12 jovens de várias nacionalidades e religiões. Francisco apresentou uma homilia breve, centrada no simbolismo do gesto, que classificou como “comovente”, de Jesus que lava os pés aos seus discípulos para dar um exemplo de “serviço pelos outros”. “Lavar os pés significa: eu estou ao teu serviço”, acrescentou. O Papa convidou os presentes a ajudarem-se mutuamente e deixou uma pergunta: “Pensemos, cada um de nós: estou verdadeiramente disposto a servir, a ajudar o outro?”. Segundo Francisco, o lava-pés é um “sinal”, “uma carícia de Jesus, porque Ele veio precisamente para servir”. 
“Ajudar-nos uns aos outros: é isto que Jesus nos ensina e é o que eu faço. Faço-o de coração, porque é meu dever, como padre e como bispo tenho de estar ao vosso serviço, mas é um dever que vem do coração”, prosseguiu. A celebração teve um “caráter íntimo”, por vontade expressa do Papa argentino, sem transmissão televisiva em direto e presença de jornalistas limitada ao exterior do Instituto Penal para Menores (IPM) de Casal del Marmo, nos subúrbios da capital italiana, que Bento XVI visitou em 2007 e João Paulo II em 1980. 
A escolha do local da missa, transmitida pela Rádio Vaticano, foi explicada pela Santa Sé como uma continuação do “ministério como arcebispo de Buenos Aires” do cardeal Bergoglio, hoje o Papa Francisco, que “costumava celebrar numa prisão ou num hospital ou em casas para pobres ou pessoas marginalizadas”. A ‘missa da Ceia do Senhor’ é caraterizada “pelo anúncio do mandamento do amor e pelo gesto do lava-pés”. A celebração contou com a participação de 46 jovens dos 14 aos 21 anos, incluindo 11 raparigas, todos do IPM, que proferiram as leituras da cerimónia. O Papa lavou os pés a 12 deles, incluindo duas raparigas, escolhidos entre várias nacionalidades e confissões religiosas. O sucessor de Bento XVI envergou um avental oferecido pela comunidade de "Villa San Francesco" de Facen Pedavena (Belluno), Itália, que acolhe crianças e jovens com problemas familiares ou pessoais. O avental foi tecido pelas crianças acolhidos da comunidade com fios de Betânia, Jericó e da antiga cidade de Tecoa, o local de nascimento do profeta Amós, na Terra Santa. 
Francisco teve a companhia do cardeal Agostino Vallini, vigário papal para a Diocese de Roma, e do padre Gaetano Greco, capelão no IPM. Após a missa, o Papa encontrou-se com os jovens e o pessoal do centro de detenção, um total de aproximadamente 150 pessoas, no ginásio da instituição, na presença da ministra da Justiça da Itália, Paola Severino, que agradeceu a Francisco. Os jovens ofereceram a Francisco um crucifixo e um genuflexório de madeira, fabricados por eles mesmos, e o Papa vai retribuir com doces tradicionais da Páscoa. 
"Não deixeis que vos roubem a esperança, entendido? Sempre em frente, com esperança. Obrigado”, disse.



Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO