1-4 Setembro - Simpósio para os padres de Portugal

No texto que assinala a celebração de abertura do Ano Sacerdotal, marcada para 19 de Junho, D. António Santos, presidente da Comissão Episcopal Vocações e Ministérios, anuncia a realização de um simpósio para os padres de Portugal. O encontro ocorrerá em Fátima, entre os dias 1 e 4 de Setembro de 2009.
A mensagem lembra que ao propor este período de reflexão, no ano em que se assinalam os 150 anos da morte do Cura d'Ars, S. João Maria Vianney, o Papa pretende sensibilizar as comunidades cristãs para os "grandes ideais" da vida sacerdotal, "nestes tempos que são os nossos".
O tema deste Ano - "Fidelidade de Cristo, fidelidade do sacerdote" - sublinha que o chamamento de Deus para uma missão específica de serviço à Igreja e ao mundo e a doação da própria vida são elementos constitutivos da identidade dos padres, que se consolida a partir do exemplo de fidelidade de Cristo a Deus Pai.
A mensagem destaca a importância dos Seminários no discernimento que cada aluno faz sobre a vontade de Deus e da Igreja a seu respeito, bem como na formação espiritual, teológica e pastoral. Por isso eles "são chamados a viver, mais do que qualquer outra instituição, o Ano Sacerdotal com criativo acolhimento e com renovado sentido de missão".
As ordenações de padres que irão ocorrer proximamente serão momentos muito oportunos para constatar a acção de Deus, que revela a sua vontade em cada seminarista, sem todavia deixar de respeitar a sua liberdade.
Os votos perpétuos de pobreza, castidade e obediência orientam-se para facilitar e concretizar o amor inteiramente dedicado a Deus e à comunidade que caracteriza os padres. Mas aqueles meios precisam de ser permanentemente reavivados, dado que os sacerdotes, como todos os seres humanos, são frágeis e vulneráveis; por isso é indispensável que coloquem a vida espiritual no centro da sua existência
A missa diária é o momento em que se renova o amor que o sacerdote recebe de Deus e que entrega aos que o rodeiam. Estas características tornam-se visíveis na união com o bispo, na relação fraterna com os padres e no "serviço generoso" aos membros da comunidade, que são a razão de ser da sua existência. No entanto, mais do que aquilo que ele faz, "a beleza da vida e da missão do sacerdote consiste essencialmente naquilo que ele é".
A fidelidade e o agradecimento a Deus pela oferta de sacerdotes à Igreja serão intensificados através de uma vida conforme à vontade divina e que, por outro lado, manifeste aos membros das comunidades palavras de esperança e "sentimentos de perdão e de misericórdia e gestos de dor compassiva (...) nos momentos de fragilidade ou de desânimo."
D. António Santos lembra que apesar deste período se dirigir a toda a Igreja, "é no coração, na vida e no ministério de cada um dos sacerdotes" que ele encontra "o mais indicado e necessário ambiente de acolhimento e a mais densa e sentida forma de celebração".
Uma das prioridades deste Ano consiste na oração e no estabelecimento de condições para que mais pessoas escutem o apelo de Jesus Cristo e decidam ser sacerdotes. As comunidades são também convidadas a relembrar os exemplos, discretos e heróicos, de padres que seguiram a vontade de Deus, recolhendo motivos de esperança da sua memória.
Para D. António Santos, os sacerdotes doentes, idosos e os que "vivem momentos dolorosos de provação" são olhados com "atenta solicitude" por parte da Igreja, que vê revelados nos seminaristas e nos jovens padres "caminhos de generosidade e de fidelidade".

Documento para download: simposio_clero_programa09.pdf
Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO