HOMILIA NO ENCERRAMENTO DO ANO PAULINO

Homilia de D. António Carrilho, Bispo do Funchal, na Celebração Diocesana de Encerramento do Ano Paulino Paróquia de S. Paulo – Ribeira Brava, 28 de Junho de 2009 São Paulo, o grande Apóstolo da Palavra

Saúdo, com imensa alegria, os sacerdotes e toda a comunidade diocesana, aqui largamente representada, neste lugar da paróquia de S. Paulo, na Ribeira Brava, a única que o tem como padroeiro, na nossa Diocese. Respondendo ao convite que vos dirigi, viestes em tão grande número, de toda a Ilha da Madeira e do Porto Santo, para participar nesta grande celebração diocesana de Encerramento do Ano Paulino, numa bela manifestação pública de fé e comunhão eclesial. Sede bem-vindos e obrigado pela vossa presença!
Há cerca de um ano, no início deste Ano Jubilar, escrevi uma Mensagem Pastoral, com algumas sugestões e propostas que nos ajudassem a fazer da comemoração dos dois mil anos do nascimento de São Paulo, um verdadeiro «ano de graça e de bênção para toda a Diocese». Foram muitas, sem dúvida, as actividades e celebrações realizadas, para aprofundamento da fé e maior consciência do nosso compromisso de vida cristã, à luz da teologia e espiritualidade do Apóstolo. Agora, nesta celebração eucarística e em comunhão com a Igreja Universal, damos graças ao Senhor por toda a Luz, Graças e Bênçãos, proporcionadas e recebidas, ao longo do Ano Jubilar.
Queremos, ao mesmo tempo, acolher a grande figura do Apóstolo das Gentes como modelo de evangelizador, perante a urgência de uma nova evangelização. Assim o declarou a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP): “Ao celebrar o Ano Paulino, queremos ter o Apóstolo Paulo como guia inspirador da nossa missão de pastores, de todos os evangelizadores, e de quantos, neste mundo secularizado, querem viver connosco a aventura da Igreja” (Nota Pastoral da CEP, Ano Paulino, uma proposta pastoral, Maio de 2008, nº 9).
Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO