Novo patriarca de Lisboa recebeu pálio



D. Manuel Clemente, novo patriarca de Lisboa, recebeu hoje o pálio, insígnia litúrgica de honra e jurisdição da Igreja Católica, numa cerimónia presidida pelo Papa, na Basílica de São Pedro.
A celebração, que se realiza anualmente na solenidade litúrgica de São Pedro e São Paulo, decorreu no Vaticano, perante centenas de pessoas.
No dia dos padroeiros de Roma, 34 arcebispos nomeados nos últimos 12 meses proferiram um juramento no qual cada um se comprometeu a ser “sempre fiel e obediente” ao "beato Pedro apóstolo", à "santa, apostólica Igreja de Roma", ao Papa e seus "legítimos sucessores".
Os pálios estiveram desde a noite anterior junto do túmulo do apóstolo Pedro, o primeiro Papa da Igreja Católica, e são transportados durante a celebração para junto de Francisco, que os abençoa.
O patriarca português foi o primeiro a receber a insígnia, num grupo que inclui três brasileiros e um moçambicano, e leu o juramento, proferido em latim, em nome de todos..
A lista inclui o nome de D. Mario Aurelio Poli, que sucedeu ao Papa na Arquidiocese de Buenos Aires (Argentina), após a eleição pontifícia de Jorge Mario Bergoglio.
O vietnamita D. François Xavier Lê Van Hông vai receber o pálio na sua sede episcopal, Huê.
A imposição do pálio teve lugar junto do altar da confissão do Apóstolo Pedro, na Basílica do Vaticano, e destina-se a sublinhar a missão do metropolita, que preside a uma província eclesiástica constituída por diversas dioceses.
Este sistema administrativo veio da divisão civil do Império Romano, depois da paz de Constantino (313); em Portugal há três províncias eclesiásticas: Braga, Lisboa e Évora.
O pálio, faixa de lã branca com seis cruzes pretas de seda, é envergado pelos arcebispos metropolitas nas suas dioceses e nas da sua província eclesiástica.
Esta insígnia é feita com a lã de dois cordeiros brancos benzidos pelos Papas na memória litúrgica de Santa Inês, a 21 de janeiro, e simboliza o Bom Pastor que leva nos ombros o cordeiro até dar a sua própria vida, como recordam as cruzes negras bordadas.
Lisboa foi elevada a metrópole eclesiástica em 1393, Lisboa, sendo seu primeiro arcebispo D. João Anes.
Em 1716, o Papa Clemente XI elevou a capela real a basílica patriarcal, ficando a antiga diocese dividida em duas até 1740, ano em que foi reunificada.
Por privilégio concedido através de Bula Pontifícia, o patriarca de Lisboa é nomeado cardeal pelo Papa no primeiro consistório realizado após a sua elevação à sede diocesana.
D. Manuel Clemente, de 64 anos, até agora bispo do Porto, foi nomeado como sucessor de D. José Policarpo a 18 de maio.
A tomada de posse do cargo está marcada para o dia 6 de julho, na Sé de Lisboa.



Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO