DIA DIOCESANO DO CLERO 19.05.11 NO ARCIPRESTADO DE MACHICO E SANTA CRUZ

Bispo pede mais compromisso apostólico às paróquias

O Bispo do Funchal apelou ontem às comunidades paroquiais para que assumam «maior compromisso» e atenção na ajuda aos carenciados. O pedido de D. António Carrilho fez-se na celebração do Dia do Clero e 4.º aniversário da sua entrada na Diocese (19 de Maio de 2007), que este ano decorreu na Camacha.
Na sua mensagem falou da «espiritualidade, identidade e missão» do sacerdote nosso tempo, com relevância para as «questões sociais» que exigem «mais cuidado», em consequência da «crise generalizada» e outros problemas.
«Estes últimos tempos» entre nós têm sido «muito exigentes», lembrou, e deu como exemplo «o 20 de Fevereiro e uma crise que se acentua». E, «embora a Igreja não tenha que responder só às questões sociais, porque tem uma espiritualidade e uma mensagem para anunciar, não se pode alhear do que se passa à sua volta, pelo contrário, a exigência evangélica compromete-nos com todos», considerou, em declarações ao JM no final da Missa.
O tema foi uma das três propostas feitas aos sacerdotes presentes na celebração: a primeira, sobre a vivência da «espiritualidade segundo a nossa própria identidade de sacerdotes, tendo em atenção os novos tempos e realidades»; a segunda, relativa à promoção das «vocações na Igreja local», conforme sugeriu a reflexão do Papa para o 48.º Dia Mundial de Oração pelas Vocações (15 de Maio); e a terceira, em referência às actuais circunstâncias, em que se pede «um redobrar de atenção e um cuidado em ver o que se pode fazer mais».
«As nossas paróquias já fazem muito, através das Conferências Vicentinas, da Cáritas, Centros paroquiais e outras instituições», reconhece D. António Carrilho.
«Graças a Deus não esperamos pelos acontecimentos, porque procuramos ser presença permanente junto das pessoas mais carenciadas; mas, agora, a hora exige mais e vamos tentar responder», explicou.

Balanço de 4 anos aponta para a «corresponsabilidade»

Solicitado a fazer um “balanço” aos 4 anos como Bispo do Funchal, D. António Carrilho disse que, mais do que uma avaliação, preferia apontar para um «caminhar em frente».
«O que sinto é que há uma consciência de Igreja - e tenho feito por isso, uma participação e corresponsabilidade maior de que a Igreja não é só do Bispo e dos sacerdotes, e religiosos, mas também do laicado, Povo de Deus em geral.» É preciso entender que «a Igreja não é meia dúzia, mas todo todos os crentes, e que se sente cada vez mais chamada a participar e a comprometer-se», sublinhou.

Ambiente festivo no acolhimento ao clero

O Dia do Clero na paróquia da Camacha foi bem acolhido pela comunidade local, orientada pelo Pe. Duarte Gomes. Logo à chegada, o Bispo do Funchal e os sacerdotes foram saudados pela Banda Paroquial de São Lourenço e por um grupo de crianças da Escola Santo Condestável (1.º Ciclo).
A animação litúrgica, na Missa celebrada às 10h30, foi do Grupo Coral da Paróquia. E, no final, o Grupo Folclórico da Camacha também contribuiu para a festa.
Na celebração presidida por D. António Carrilho, marcaram ainda presença: D. Teodoro Faria (Bispo Emérito do Funchal), D. Montes Moreira (Bispo de Bragança-Miranda) e o cónego Américo Aguiar (Vigário Geral da Diocese do Porto); entre outras entidades, com destaque para o Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz, José Alberto Gonçalves.

Vera Luza
in Jornal da Madeira 20.05.11
Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO