Papa saúda doentes com palavra de «ânimo e esperança»

Bento XVI deixou hoje uma palavra de “ânimo e esperança” aos doentes que se reuniram no Santuário de Fátima, na celebração do 13 de Maio.
No final da Missa, o Papa apresentou uma reflexão sobre o “sofrimento humano” e disse que a esperança pode levar a “sair das areias movediças da doença e da morte”.
“As fontes da força divina jorram precisamente no meio da fragilidade humana”, assegurou.
Bento XVI tratou os doentes por “tu”, afirmando: “Tens para Deus «um valor tão grande que Ele mesmo se fez homem para poder padecer como o homem»”.
“Queridos doentes, acolhei este chamamento de Jesus que vai passar junto de vós no Santíssimo Sacramento e confiai-Lhe todas as contrariedades e penas que enfrentais”, referiu.
Já a saudar os peregrinos de outros países, o Papa falou em Fátima como “um suplemento de esperança” e um “sinal indelével” do “amor materno” de Maria.
Por último, Bento XVI falou aos peregrinos dos países lusófonos: “Dando-nos Jesus, Maria é a verdadeira fonte da esperança”.
As palavras do Papa forma seguidas de aplausos dos peregrinos.
Após incensar o Santíssimo Sacramento, Bento XVI saiu por trás do altar e, com a Custódia na mão benzeu os presentes. Posteriormente dirigiu-se à Colunata Norte para benzer os doentes.
Ecclesia
Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO