Homilia do sr. Bispo no Domingo de Ramos

HOMILIA DE D. ANTÓNIO CARRILHO, BISPO DO FUNCHAL
Domingo de Ramos – 25º Dia Mundial da Juventude
Sé do Funchal, 28 de Março de 2010

Olhar a vida, à luz do Mistério Pascal do Senhor

A celebração do Domingo de Ramos, que marca o início da Semana Santa ou Semana Maior, evoca a entrada solene de Jesus em Jerusalém, para o culminar da Sua missão redentora. No monte das Oliveiras, numa atmosfera de grande entusiasmo, Ele é aclamado como Rei e intensifica-se aí o processo que O conduzirá à Cruz e à Sua glorificação. De facto, o Hossana do Domingo de Ramos e a proclamação da Paixão condensam, antecipadamente, na liturgia de hoje, o mistério da paixão, morte e ressurreição de Jesus, que celebraremos durante esta semana, desdobrando os seus diversos aspectos, no Tríduo Pascal.
A Igreja Universal, desde há 25 anos, celebra também, neste domingo, a Jornada Mundial da Juventude, razão pela qual terei uma palavra especial para os jovens.
O Messias Servo
Cristo, em obediência ao Pai e por amor à Humanidade, entrega-Se voluntariamente à morte para a salvar. Apesar de ser aclamado triunfalmente pela multidão em festa, na Sua humildade e mansidão, Ele escolhe os sinais da pobreza para revelar o verdadeiro Rosto de Deus. É que, ao contrário do triunfalismo, domínio e prestígio dos reis da terra, o Messias vem para servir e dar a vida pelo Seu Povo.
Queridos jovens e comunidade diocesana em geral: a procissão dos Ramos que realizamos, no início desta celebração, é manifestação da fé da Igreja em Cristo, Messias e Senhor. À semelhança dos meninos hebreus, dos discípulos e da multidão, nós acompanhamos, cantamos e aclamamos o Senhor, com alegria e entusiasmo, por todas as maravilhas que Ele fez e continua a fazer em nós e por nosso intermédio.
Assim escreve S. Lucas: “Estando já próximo da descida do Monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos começou a louvar alegremente a Deus, em voz alta, por todos os milagres que tinham visto, dizendo: Bendito o que vem como Rei, em nome do Senhor! Paz no céu e glória nas alturas!” (Lc 19,38). Tal como na noite do nascimento de Jesus em Belém, somos envolvidos pelo mesmo canto de louvor e de alegria, no início da semana em que celebramos o mistério da Páscoa redentora.

Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO