Alegria da Palavra na Festa do Nascimento de São João Baptista 24.06.09





Festa do Nascimento de São João Baptista, Padroeiro do Concelho de Porto Santo, presidida pelo Senhor Bispo Emérito D. Teodoro de Faria.

ALEGRIA DA PALAVRA

No dia 24 de Junho de 2009 celebrou-se, no Porto Santo, o nascimento de São João, Padroeiro da ilha dourada e, simultaneamente, o dia do Concelho. D. Teodoro, Bispo Emérito do Funchal, presidiu a Eucaristia, na Igreja Matriz, que foi concelebrada pelos Párocos das Paróquias do Porto Santo, Pe. Hélder Gonçalves e Pe. Victor Gonçalves, e pelo Pe. Martins da Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus.
Na homília, D. Teodoro destacou a palavra “alegria”, dizendo que esta era a nota principal da Liturgia. Frisou que a Igreja não celebra o nascimento dos Santos mas abre excepção com Jesus e São João. O Primeiro nasceu sem pecar e o segundo foi santificado no ventre da sua mãe, Isabel.
João é um nome de origem hebraica que significa Deus já fez a graça. Anunciava-se, então, a vinda do Messias. Era, aliás, esta a missão de São João: preparar a vinda de Jesus. O nascimento de São João foi um grande motivo de alegria pois Isabel era estéril e não poderia participar na geração que iria receber Jesus. A sua vinda foi igualmente anunciada por um anjo que apareceu ao seu pai, Zacarias.
João era o precursor. Este Santo serviu-se das águas (símbolo da purificação) do Rio Jordão, para ajudar aqueles que queriam mudar de vida. Depois baptizou o próprio Jesus, que trouxe alegria e perdão à terra.
D. Teodoro destacou a alegria trazida pelas Festas destes nascimentos mas também o esforço que os envolveu. Apresentou a sua definição de Festa como sendo um conjunto de esforço e alegria. Utilizou as Festas do Porto Santo como exemplo. Assim, a missão de São João representava uma festa. O seu nascimento também. Aliás, O Bispo Emérito do Funchal afirmou que todos os nascimentos eram motivos de alegria e festa e que era preciso cuidar e amar essas crianças sem esquecer a terceira idade.
A alegria da palavra invadiu, então, a Eucaristia de Quarta-Feira no Porto Santo, apresentando-se quase como uma dicotomia na qual a palavra esforço tem de estar sempre presente, fazendo-se de cada missão, seja ela qual for, uma verdadeira Festa.

Vera Joana V. G. Duarte

Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO