Liturgia de Sexta-Feira Santa

O evangelista S. João foi aquele que, mais de perto, viveu a Paixão do Senhor. No relato que dela nos deixou, transparece, sobretudo, a sua admiração pela maneira livre e consciente como Jesus enfrenta a morte. Faz ressaltar também a presença de Maria como Mãe da nova humanidade. Na primeira leitura, apresentando a figura misteriosa do Servo, é Jesus a Quem o profeta Isaías anuncia. Ele é o Servo de Deus. Da sua morte nascerá um povo novo, a Igreja. Mas Jesus Cristo não é apenas o “homem das dores” apresentado por Isaías; Ele é também o nosso Sumo Sacerdote e único Mediador entre Deus e os homens. Pela Sua morte é que fomos salvos.
Enviar um comentário
VIDEO DE PORTO SANTO